O que fazer quando tiver um acidente automóvel

Amolgadelas

Title

O que fazer quando tiver um acidente automóvel

Ter um acidente automóvel não é seguramente algo pelo qual alguém deseje passar ao longo da sua vida, no entanto se mantiver a calma e fizer as coisas corretamente poderá fazer com que o processo não seja tão penoso.

Cuidados a ter após um acidente automóvel

Após o choque inicial, deve primeiro verificar se existem feridos decorrentes do acidente e se tal for necessário deve ligar para o 112 (número europeu de emergência). Se tal ocorrer é muito importante que seja fornecida toda a informação necessária, como o local preciso do acidente, quantas viaturas e feridos estão envolvidos e qual a gravidade dos mesmos, desta forma as autoridades poderão agir de uma forma mais célere. No caso de existirem feridos graves evite sempre mover os mesmos, pois isso poderá levar ao agravamento das lesões.

De seguida, a próxima etapa passa por sinalizar o local do acidente de forma a prevenir a ocorrência de outros acidentes. Ou seja, comece por vestir o colete refletor, coloque o triângulo de sinalização à distância adequada e se tal for possível ligue os 4 piscas. Tenha sempre cuidado para se manter numa zona segura, pois se o seu acidente tiver ocorrido numa autoestrada ou então numa curva com pouca visibilidade existe um grande risco de ser atingido por outra viatura.

DAAA - Declaração Amigável de Acidente Automóvel

Um acidente automóvel que envolva, por exemplo 2 carros, pode ser resolvido de forma amigável no caso de apenas existirem danos materiais, isto caso as partes cheguem rapidamente a acordo. No entanto, se por algum motivo tiver dúvidas que o outro veículo tem realmente seguro, pode sempre verificar essa existência no site do Instituto de Seguros de Portugal através da matrícula, seja através de um smartphone com ligação à internet ou ligando a alguém conhecido, que lhe faça essa verificação.

Caso esse acordo exista os condutores das 2 viaturas devem preencher a declaração amigável de acidente automóvel (DAAA) seguindo os seguintes passos:

  1. Comece por preencher o cabeçalho da DAAA identificando a data, hora e local do acidente, se existem feridos e se existem veículos ou objetos que foram danificados no acidente à parte das viaturas envolvidas. Caso existam testemunhas, pode se desejar identificar as mesmas aqui, no entanto os testemunhos apenas serão válidos se tiverem sido prestados às autoridades;
  2. A etapa seguinte passa por identificar o tomador do seguro, veículo, companhia de seguros e respetivo número de apólice e carta verde, seguindo-se dos dados do condutor. Após identificar os seus dados, este processo deve ser repetido para o condutor do 2º veículo;
  3. De seguida devem ser identificadas as circunstâncias do acidente da viatura A e viatura B, pois à partida estas serão diferentes;
  4. Faça um desenho simples, mas explícito que explique como ocorreu o acidente. Identifique também quais os pontos de embate inicial e quais os danos visíveis em cada viatura;
  5. Se existir alguma observação pode-a inserir no final e por último ambos os condutores devem assinar a DAAA no fim do preenchimento;
  6. O verso da DAAA possibilita que seja feita uma descrição mais pormenorizada do acidente, por isso tudo o que considere que seja importante deve ficar lá registado. Aqui também deve ficar registado se as autoridades levantaram um auto da ocorrência, seja GNR ou PSP e qual o posto responsável por esse auto;
  7. Caso o seu veículo tenha ficado imobilizado e tenha que ser levado para uma oficina, deve identificar nesta secção para que oficina o mesmo foi enviado;
  8. Por último, deve ficar com um exemplar da DAAA seja ela o original ou a cópia.

Acidente com culpa de terceiros

Caso tenha tido um acidente em que a culpa não é sua e após ter em atenção os cuidados habituais, deverá abordar o outro condutor e perguntar se este se dá como culpado, no caso do condutor não se dar como culpado deve então chamar as autoridades, ligando para o 112. Tenha em atenção que nunca deve mover a sua viatura sem ter primeiro sido a polícia a solicitar o mesmo ou então após a resolução do acidente.

Enquanto as autoridades se deslocam para o local esteja atento a que o outro condutor não movimente o veículo, procure também saber se existem testemunhas que aceitem prestar declarações às autoridades. A polícia fará então um auto da ocorrência, recolhendo os testemunhos dos envolvidos e das possíveis testemunhas. Chama-se a atenção para que antes de assinar o auto de ocorrência leia o mesmo com a devida atenção, de forma a verificar que não tenha sido lá colocada informação que o prejudique.

Em algumas situações poderá vir a ter o azar de ter um acidente com um condutor sem seguro ou então com um condutor que foge do local, nestes casos deve ter os seguintes cuidados:

  • Viatura sem seguro – caso o condutor da viatura que provocou o acidente não comprovar que tem o seguro em dia, deve de imediato chamar as autoridades para tomar conta da ocorrência e identificar o veículo e respetivo condutor. Após isso deverá recorrer ao Fundo de Garantia Automóvel para tratar da reparação do seu carro e se tal ocorrer o indemnizar dos custos resultantes de danos corporais;
  • Condutor foge – se porventura se vir envolvido num acidente em que o condutor responsável fuja ou tente fugir do local, o mais importante é tentar identificar a matrícula do mesmo, assim como a marca, modelo e cor do veículo. Procure também descobrir se existem testemunhas que tenham presenciado o acidente. De seguida deverá contactar as autoridades para tomarem conta da ocorrência. Nestes casos o Fundo de Garantia Automóvel apenas cobrirá os danos materiais caso tenha sido identificado o responsável ou então se o mesmo tiver abandonado o veículo no local e as autoridades referenciarem o mesmo no auto de ocorrência. Caso o responsável seja desconhecido, apenas serão assegurados danos corporais.

Como participar um sinistro à seguradora

Depois de ter tido um acidente deve participar o mesmo à sua seguradora, quer se trate de um acidente em que a culpa foi sua ou de um acidente em que a culpa é de um terceiro. Para tal deve enviar à sua seguradora a DAAA totalmente preenchida (frente e verso) e assinada, caso não tenha preenchido uma DAAA na altura do acidente, preencha você mesmo uma a explicar como aconteceu o acidente com o maior detalhe possível. A DAAA deve ser enviada à sua seguradora até um máximo de 8 dias após o acidente, caso tenha o auto da polícia consigo deve-o enviar também.

Caso venha a necessitar de uma viatura de substituição e se trate de um acidente em que a culpa é de um terceiro, esta apenas lhe será disponibilizada assim que a outra companhia de seguros reconhecer a responsabilidade do acidente e durante o período em que o seu veículo estiver em reparação. Caso o acidente seja da sua culpa esta apenas lhe será disponibilizada se tiver a cobertura “viatura de substituição” incluída na apólice, sendo que as condições em que pode recorrer à mesma constarão na apólice.

A viatura de substituição, por norma, será uma viatura equivalente à sua e terá um seguro equivalente ao seu, ou seja, se tiver um seguro com danos próprias também terá que lhe ser fornecida uma viatura com seguro para danos próprios. Se desejar coberturas adicionais poderá solicitar o mesmo na rent-a-car fazendo um pagamento à parte. Danos causados na viatura serão da sua responsabilidade, assim como o combustível… por norma é deixada uma caução na rent-a-car que será ativada caso entregue a viatura com menos combustível que aquele que a rent-a-car lhe disponibilizou.

No caso de se tratar de um acidente onde a sua viatura é dada para perda total a viatura de substituição será fornecida até ao momento em que a seguradora pague a indeminização.

No geral maior parte dos acidentes em Portugal encontra-se ao abrigo da convenção IDS (Indemnização Direta ao Segurado), esta trata-se de um acordo entre a maioria das companhias de seguros que tem por objetivo simplificar o processo de resolução de um acidente. Esta convenção procura evitar que o segurado tenha que contactar a seguradora do outro condutor, sendo a sua a tratar de todo o processo. No entanto, apenas será válida se forem respeitadas as seguintes regras, em caso contrário terá que reclamar à outra companhia mantendo a sua sempre a par.

  • Acidente ocorrido em Portugal com veículos de matrícula portuguesa;
  • Viaturas com o seguro em dia;
  • Apenas para casos em que existam 2 viaturas, não sendo possível em choques em cadeia;
  • Apenas podem existir danos materiais até um máximo de 15000€;
  • DAAA deviamente preenchida e assinada.

Acidente com viatura estrangeira

Antes de viajar para o estrangeiro deverá sempre confirmar se o seu seguro é viável para o país que pretende visitar, consegue confirmar essa informação verificando se esse destino não se encontra traçado no quadro de países existente na sua carta verde.

Caso tenha um acidente em Portugal com um veículo de matrícula estrangeira ou então um acidente no estrangeiro, além das instruções já referidas anteriormente, deverá contactar o Gabinete Português da Carta Verde para participar o sinistro.

Links:

Declaração Amigável de Acidente Automóvel (DAAA)

Exemplo de preenchimento de uma Declaração Amigável de Acidente Automóvel (DAAA)

Verificar a existência de seguro através da matrícula

Documentação para abertura de um processo de sinistro no Fundo de Garantia Automóvel

artigos relacionados

Amolgadelas

O mundo dos superdesportivos está reservado a...

Amolgadelas

À medida que o tempo vai avançando vão surgindo novos...

Amolgadelas

Se já constituiu família e está na altura de abandonar o...

Amolgadelas

Após um longo período em que a criatividade das marcas...

Amolgadelas

Quando se pensa em seguro automóvel lembramo-nos logo...

Amolgadelas

O sistema de alerta de ângulo morto foi inventado pela...

Amolgadelas

Ter um acidente automóvel não é seguramente algo pelo...

Amolgadelas

Ao longo dos tempos sempre foram aparecendo mitos e...

Amolgadelas

Quando temos um carro existem alguns pontos que devemos...

Amolgadelas

Existem muitas dúvidas quando se fala da garantia de um...